Welcome

Delete this widget from your Dashboard and add your own words. This is just an example!

último amor.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Cansei. Transbordei. Entrei em erupção mais uma vez. Explodi.
Não dá mais, não consigo mais. Digo, não posso ficar presa a ti para sempre. "Esquecer", é disso que eu preciso, é difícil eu sei, não me desanime, apenas sei que isso é o certo. Estou aqui mais uma vez, e espero que seja a última, para escrever essa carta, a última, das inúmeras que lhe escrevi em todos esses anos. " Meu amor.." " Meu querido..." quantas vezes comecei uma carta com essas palavras, que com o passar dos anos, foram se transformando em palavras rudes, secas e frias. Há quem diga que me tornei um monstro, insensível, cruel e fria. Quem sabe? Posso ter mesmo virado esta criatura, mas se tem uma coisa que posso afirmar é que, não sou assim porque quero. Depois de longos anos, de muitas cartas e noites sem dormir, mudei. Acordei com outros olhares para a vida, com uma cabeça nova e ampliada para o mundo e nela já não havia mais espaço para você. O que há de esperar? Um dia agente cresce! Não é fácil, ah, não é fácil mesmo. Mas sabe, as vezes agente cansa de ser idiota.
Minha vida inteira carreguei-lhe nas costas, lhe dei amor, carinho e tudo que qualquer homem quer. Agora me diz, meu amor, o que ganhei em troca? Fora aquele grande e velho bau de decepções que me atormentou durante anos afim. Cansei de levar esse peso nas costas, nessa caminhada que fiz, ou você vai sozinho ou você fica pelo caminho. O que se há de fazer? É a vida, o jogo, as regras, é ela quem faz. Por isso meu querido, estou-lhe escrevendo esta última carta, espero, sinceramente, que guarde minhas palavras, e com elas guarde minhas atitudes, porque como disse á algumas linhas atrás, alguns mudam, espero que você mude também, e com isso, aprenda a a valorizar atitudes. E aqui está, com muito amor que um dia já lhe dei, minha última carta, para o meu último amor.

0 comentários:

Postar um comentário